Loading...

CARACTERIZAÇÃO DOS ESTILOS DE VINHO PORTUGUESES

Região de Lisboa

A região metropolitana de Lisboa é rica em vinhos de qualidade, produzindo-os em largas quantidades, o que lhe confere uma vantagem relativamente à venda nos mercados internacionais. A cultura da vinha nesta região data da idade média e o seu cultivo esteve bastante ligado a diversas ordens religiosas, das quais se destaca a ordem religiosa de Cister, em Alcobaça.

A região de Lisboa (Figura nº 13) é uma das maiores regiões vitivinícolas do país em termos de área de vinha plantada e produção de vinho. Nesta região o relevo não é muito acentuado, com exceção da região sul. Os solos são na sua maioria de formações argilo-calcárias e argilo-arenosas e o clima, pela proximidade do Oceano Atlântico, é bastante temperado. Na zona mais a Sul encontram-se as Denominações de Origem mais conhecidas como Bucelas, Carcavelos e Colares.

A região de Lisboa tem nove Denominações de Origem: Encostas de Aire, Óbidos, Alenquer, Arruda, Torres Vedras, Lourinhã, Bucelas, Carcavelos e Colares, todas elas com uma enorme capacidade de produção de vinhos elegantes e em volumes consideráveis para os mercados mundiais, com uma boa relação qualidade /preço.

Destaco ainda a Denominação da Lourinhã, uma região com um papel bastante significativo, ainda que desconhecido por muitos, na produção de bons vinhos para destilação, que dão lugar a excelentes aguardentes. A Denominação de Origem da Lourinhã é a única D.O exclusiva para produção de aguardentes em Portugal, e a única no mundo fora do território francês, especializada na produção desta bebida de alto teor alcoólico. Em todo o mundo existem apenas três Denominações de Origem de Aguardentes Vinicas; a portuguesa Lourinhã e as regiões francesas de Cognac e Armanac .

As aguardentes velhas de Denominação de Origem da Lourinhã são reconhecidas pela sua excelente qualidade, representando uma boa oportunidade de valorização da imagem de qualidade de Portugal. As castas utilizadas e autorizadas para a produção de aguardente de Denominação de Origem da Lourinhã são a Cabinda, única casta tinta, a AlvadurãoAlicante BrancoBoal EspinhoBarquinhasMalvasia Rei e Tália, nas castas brancas, sendo obrigatório o estágio de vinte e quatro meses em barrica.

As castas mais utilizadas nesta região de Lisboa são a ArintoFernão PiresJampalVitalMalvasiaBoal e Esgana Cão, nas castas brancas, e CastelãoTinta RorizTouriga FrancaTouriga Nacional e Caladoc nas castas tintas.

A Denominação de Origem de Bucelas apenas produz vinhos brancos e foi demarcada em 1911. Os seus vinhos, essencialmente elaborados a partir da casta Arinto, foram muito apreciados no estrangeiro, especialmente pela corte inglesa. Os vinhos brancos de Bucelas apresentam acidez equilibrada, aromas florais e são capazes de conservar as suas qualidades durante anos.

Colares é uma Denominação de Origem que se situa na zona sul da região de Lisboa. É muito próxima do mar e as suas vinhas são instaladas em solos calcários ou assentes em areia. Os vinhos são essencialmente elaborados a partir da casta Ramisco, todavia a produção desta região raramente atinge as 10 mil garrafas. As outras Denominações de Origem de Lisboa podem ser regiões importantes nos mercados internacionais por apresentarem uma vasta diferença nos estilos de vinhos produzidos, podendo servir mercados que procuram vinhos de menor grau alcoólico ou mercados que trabalhem com vinhos de qualidade a um preço acessível. Esta região apresenta por isso, várias opções de crescimento e de valorização.

« Secção Anterior Próxima Secção »