Loading...

LEMBRANÇA

Mercado Canadiano

O Canadá é umpaísque ocupa grande parte daAmérica do Norte e está dividido em 10 províncias e 3 territórios. As províncias têm uma gestão autónoma mas sobre um único poder central. Este é um país sui generis pois não existe um só mercado Canadiano, mas sim 10 mercados diferentes no mesmo país. Cada província é detentora da sua própria cultura e por isso mesmo distinta perante o consumidor face às restantes. É pois primordial perceber desde logo que este país apresenta 10 comportamentos de mercado distintos e desde logo a aproximação a cada mercado deverá ser feita de forma igualmente distinta.

Irei abordar o mercado da província do Quebeque, a que melhor conheço pessoalmente e que é a única província francofone do Canadá.

Apesar de grande, superfície de de 9 984 670 km2, o Canadá tem uma população de apenas 34,8 milhões habitantes, sendo o segundo maior país do mundo em área, após a Russia, mas com uma população diminuta face à sua área total. Na província do Quebeque habitam 7 milhões de habitantes, dos quais 3 milhões estão concentrados entre a cidade de Saint Laurent e Montreal.

O mercado do Quebeque destaca-se de outros mercados no continente da América do Norte porque é um mercado com profundas raízes históricas francesas, comportando-se de maneira muito diferente de outros. 

A província do Quebeque funciona num sistema de monopólio regulado pelas autoridades governamentais, onde todos os produtos alcoólicos que entram no mercado são alvo de inspeção pelas autoridades. A importação de vinhos para o Quebeque pode ser realizada por empresas independentes, mas o controlo e as licenças passam obrigatoriamente pela Société des Alcools du Québec (SAQ), a sociedade estatal que detém o monopólio.

A SAQ é um sistema de monopólio extremamente bem organizado, que permite importações privadas a profissionais, e que oferece lojas de diferentes segmentações, possibilitando a distribuição dos vinhos com um posicionamento quase perfeito. A SAQ está dividida em cinco tipos de lojas onde os vinhos são agrupados em conformidade com a qualidade e preço. Esse posicionamento dos vinhos nas diferentes lojas pode inclusive ser feito em função do bairro da cidade onde esta se localiza, o que significa que os vinhos com uma origem mais próxima daquela cultura local, têm maior destaque nas prateleiras. É um sistema altamente profissional que responde muito bem às preferências do consumidor.

Este serviço de posicionamento das diferentes gamas de vinhos em diferentes lojas, representa uma mais-valia para o consumidor e para os produtores, que assim sabem exatamente o que se comercializa em cada loja e qual a qualidade associada ao espaço comercial.

A economia do Quebeque é uma economia forte, baseada na indústria de serviços, com particular destaque para a indústria aeronáutica e turismo.

Nesta província o monopólio possuiu uma vasta seleção de vinhos de todos os países, chegando incluivé a fazer uma seleção criteriosa dentro da mesma região, classificando-os por sub-regiões. Contudo, e como em todos os sistemas de monopólio, o comércio de bebidas alcoólicas é bastante controlado. A entrada de vinhos no mercado está sujeita ao lançamento de concursos públicos internacionais que visam responder aos perfis de vinhos exigidos pela SAQ.

Em Montreal existe uma importante comunidade portuguesa, 429.850 Luso-Canadianos (Fonte: Canada 2011 Census), localizada num bairro central da cidade, que faz parte dos roteiros turísticos de quem visita a cidade. Sendo a cozinha portuguesa bastante apreciada pelos turistas que com assiduidade frequentam este bairro, os vinhos portugueses podem aqui encontrar uma boa oportunidade de posicionamento. Atualmente os vinhos portugueses representam no mercado apenas 4% das vendas totais, o que me parece uma percentagem bastante inferior ao potencial de 10% que prevejo.

Em suma: o mercado de vinhos do Quebeque, embora regulado por um sistema de monopólio que restringe as compras e que é por vezes negligente na qualidade dos vinhos face aos preços praticados, é um mercado com interesse para os vinhos portugueses. A cultura portuguesa já instalada em várias partes do Canadá, em particular no Quebeque, pode ser um óptimo ponto de partida para um maior reconhecimento e aumento do volume de vendas.

« Secção Anterior Próxima Secção »